Factos Reais

Um problema em crescimento


As perdas involuntárias de urina são extremamente comuns. No entanto, é um sintoma que define um problema de saúde pública, com um impacto social e económico considerável. (1) Mesmo as mais pequenas perdas de urina têm implicações na qualidade de vida, quer a nível físico, social e emocional.
Cerca de 600 mil portugueses sofrem de incontinência urinária, segundo a Associação Portuguesa de Urologia. Com o envelhecimento da população, a tendência será este número continuar a crescer.

A incontinência urinária afeta 20% da população com mais de 40 anos. Significa que 1 em cada 5 portugueses, acima dos 40 anos, sofre de incontinência urinária. (2)

As mulheres são as mais afetadas pelas perdas de urina. Atualmente, 33% das mulheres e 16% dos homens, com mais de 40 anos, têm sintomas de incontinência urinária (1). Uma patologia sub-diagnosticada, onde apenas 4 a 6% das pessoas procuram ajuda médica (2).



As perdas de urina não são um problema só seu. Aconselhe-se com o seu médico ou farmacêutico sobre as melhores soluções, para que se sinta como antes.

(1) Associação Portuguesa de Urologia.
(2) Estudo epidemiológico sobre a prevalência e tratamento da incontinência urinária em Portugal, realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Março de 2008.